sexta-feira, 23 de março de 2007

dentro dela

verso ventre dentro dela
de boca à sorte na pele flerta
de voz sem tom a sós e sóis
mucosa lambe a noite nuvem
desperta o gozo-luz se fundem

(quase aqui)
...
bem mais demais
sem mas de nós
.

3 comentários:

ilka disse...

dela...
seria o amor?



ilka**

uma moça disse...

,se quando a boca flerta a sua (mucosa), o coração vagabundo abre as pernas...



Ai, Ai!
A poesia, a paixão, a boemia e...
o coma alcoólico,
brindemos!

susie disse...

Eu tomo cuidado com aquele copo ofereçido, pelo menino dos olhos bonitos e maliciosos...rsrsrsrs, é aí onde mora o perigo...rsrsrsrs