sábado, 24 de março de 2007

PELICUTRILHA

atenção: começa aqui: o espetáculo vai terminar:
seja bem-ido
neste [nu enquadro de pele escura]
cinemolhos, simnema, cinema
qual projetor, desperta um sonho:
palavra e gente e foco e lente e tudo
-mas se ela me erra? -reza, reza meu ezra.
fellini, além fundo de sobrecena
eu idéia? eu intelectuavi? eu nada, dó-dói.
a alegria só me acena
e eu na(va)rro a cena
quem me canta? quem me lê?
a bahia é bem mais que não cinema
qual o quem que não me vê?
cronenbergman e nossas ilhas
a estrela brilha só por só não ser
minha mais glauberalmodovariana pelicutrilha
com fantasia, com sangue, com o mundo dentro do bolso:
 
[grana]
final da tomada, um beijo.
meu amor, meu amor,
aqui, GODard e você, vou ser: meu medo.
atenção: é o fim:
o espetáculo vai começar:

4 comentários:

Olhar-cinema disse...

Estético e fascinado pelas mulheres como Pedro Almodóvar; sensível e delicado como Ingmar Bergman; preciso como David Cronenberg; repleto das mais diversas referências como Edgard Navarro; genial como Jean-Luc Goddard... Apaixonado e apaixonante! Ambos, o poema e o poeta.

Monique Passos ( tua Moni) disse...

Estético e fascinado pelas mulheres como Pedro Almodóvar; sensível e delicado como Ingmar Bergman; preciso como David Cronenberg; repleto das mais diversas referências como Edgard Navarro; genial como Jean-Luc Goddard... Apaixonado e apaixonante! Ambos, o poema e o poeta.

Luciana disse...

Ué, essa eu não entendi?!Eu vou embora e o espetáculo começa.Gibran você tem cada mil idéias kkkk.Bem Surreal.
bjossss

luciana disse...

Oi Bam,
Depois que vc me explicou esse poema, ele me lembrou Alegoria da Caverna.Faz algum sentido ou me equivoquei?
beijoss