sábado, 24 de março de 2007

KELLY KEY

"para ela eu sou todo carnaval, para mim ela é silogismo, ela chove, molha, conclui-se. portanto é pretobranco".
.
em algum quando nesses dias na bahia, em que o sol parece estar com preguiça e a poesia esqueceu-se de se escrever, eu pedi:
- cante-me uma música letícia.
então, ela sussurra um belo sambinha, cadenciado, todo feito de silêncio, e eis que digo:
- mas esta não vale, você sabe que eu gosto.
ela sustenta:
-.mas gibran você gosta de tudo filho.
- é verdade, e você?
- ah, eu gosto é de brigar! rs (a morte realmente é maior do que deus)
- gibran, agora é sua vez. cante algo para mim.
quando começo a cantar baixinho afinando sem "dó" minhas cordas vocais, ela sem palavras pergunta:
- é kelly key?
- é, ela não é maravilhosa?
.
a resposta vocês imaginam, caiu-me sincopada como uma fotografia: segundo eterno, cena sem tempo de tom aristotélico. e nós, netos do silêncio.

4 comentários:

leticia avelar disse...

A minha presença
é preto-branco
preto-branco
preto-branco
pretobranco
pretobranco
pretobranco
e brincos

leticia avelar disse...

È pretobranco
E pratabrinco

ilka disse...

é ela não é maravilhosa?
preto e branco.
...

Anônimo disse...

rs!
saudade